MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
21/07/2018
24 de abril de 2018 às 11h51 | Educação

SEMED discute avaliação voltada para o aprimoramento do processo pedagógico

Ao todo, mais de 150 técnicos acompanharam a aplicação das provas

Por: PMCG
Divulgação/PMCG

A Semed (Secretaria Municipal de Educação), por meio da Superintendência de Políticas Educacionais, reuniu nesta terça-feira (24) diretores de escolas para discutir a Avaliação Diagnóstica dos alunos dos 4° anos do Ensino Fundamental, que realizaram testes de produção de textos, leitura e de matemática.

Os testes vêm sendo realizados desde o ano passado como forma de acompanhar os alunos na transição dos anos letivos de 2017 para 2018. A intenção é detectar as dificuldades dos alunos para fazer as intervenções necessárias.

Ao todo, mais de 150 técnicos acompanharam a aplicação das provas, que aconteceram em 94 escolas, 302 turmas, no total de 8.504 alunos da Rede Municipal para alunos do quartos anos do ensino fundamental. No entanto, o resultado é baseado em uma amostragem de 33 escolas, 112 turmas, perfazendo o total de 2.929 estudantes.

Nas 33 escolas foram utilizados aplicadores externos, que não fazem parte da equipe da unidade escolar. Nas demais escolas os testes foram aplicados pelos próprios docentes da escola.

A Semed selecionou escolas de todas as regiões da cidade, levando em consideração o porte, nível socioeconômico e resultado do Ideb.

Para Marines Sorato, técnica da educação indígena, a avaliação é fundamental para conhecer a realidade de cada escola.  “A avaliação é importante para termos um quadro do desempenho dos alunos e assim realizarmos intervenções quando preciso”, disse.SONY DSC

A superintendente de Políticas Educacionais da Semed, Carla Brito, explica que quando o MEC avisou a secretaria, no ano passado, de que não haveria a Avaliação Anual de Alfabetização, optou-se pela realização da avaliação pela própria secretaria. Este ano, os testes foram aplicados nos quartos anos com o objetivo de acompanhar a aprendizagem deste grupo de estudantes.

“Esta ação é importante para identificar as dificuldades dos alunos para que possamos intervir no processo de aprendizagem junto às escolas e redefinir as ações do programa Educação em Foco: múltiplas dimensões da formação continuada. Essa é uma das ações  da secretaria na busca da garantia da qualidade do processo de ensino e aprendizagem”, destacou Carla Britto.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas