MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
14/08/2018
07 de julho de 2014 às 08h36 | Esporte

Rosberg quebra e Hamilton triunfa no GP da Inglaterra

Massa amargou mais um abandono. Ele foi atingido logo na primeira volta

Por: Mariana Anjos / Informações G1
Foto: Dimitar Dilkoff / AFP

Lewis Hamilton foi o grande vencedor do GP da Inglaterra, válido pela nona etapa da temporada 2014 da Fórmula 1. O britânico largou em segundo, mas foi beneficiado pelo abandono do companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, com problemas de câmbio. Companheiro de Felipe Massa na Williams, Valtteri Bottas fez uma bela corrida de recuperação, largando em 14º e chegando em segundo, logo à frente de Daniel Ricciardo (RBR), que completou o pódio.

O brasileiro, por sua vez, teve mais um dia de azar. No dia que era para ser de comemoração por seus 200 GPs de Fórmula 1, Massa amargou mais um abandono. Ele foi atingido logo na primeira volta por Kimi Raikkonen, que rodou sozinho.

A corrida

Na largada, o pole Rosberg manteve a liderança, enquanto o segundo colocado Vettel perdeu posições para Button, Magnussen e Hamilton, que partia em sexto. O britânico da Mercedes e o alemão da RBR chegaram a se tocar. Em um grid onde carros da Ferrari e Williams começavam no meio do pelotão, Kimi Raikkonen rodou sozinho e acabou tirando Felipe Massa da corrida.

O brasileiro, que começava em 15º, teve um problema na embreagem, ficou parado no grid e caiu para último. Após alcançar rapidamente o pelotão, Felipe se deparou com o carro do finlandês cruzando a pista desgovernando, tentou desviar e não conseguiu.

Kimi havia espalhado na entrada da reta oposta e ao tentar voltar para a pista, pegou um desnível entre a grama e o asfalto e acabou rodando. O “Homem de Gelo” saiu mancando do carro e foi levado para exames, enquanto Massa ainda conseguiu voltar aos boxes, mas não pôde continuar devido aos extensos danos em seu carro.

Por causa do acidente, a corrida foi interrompida com bandeira vermelha. Após quase uma hora de paralisação, o prova foi reiniciada com o pelotão atrás do safety car, respeitando as posições no momento do acidente.

Rosberg manteve a ponta, seguido por Button, Magnussen, Hamilton, Vettel, Hulk, Ricciardo, Kvyat, Bottas e Bianchi. Mas as McLarens não conseguiram se segurar por muito tempo na frente de Hamilton. O campeão mundial de 2008 deixou os dois rivais para trás com facilidade e assumiu a segunda posição.

O show nesse momento ficava a cargo de Fernando Alonso. Em cinco voltas, partindo da 13ª posição, o espanhol deixou para trás Gutiérrez, Sutil, Bianchi, Ricciardo e Hulkenberg para assumir a oitava colocação. Mas a reação do piloto da Ferrari foi praticamente em vão. Ele foi penalizado com um stop and go de cinco segundos por ter largado na posição errada. Punição que pôde ser cumprida em seu pit stop.

Mais para trás, o mexicano da Sauber, em disputada com Maldonado, chegou a levantar o carro da Lotus, em um lance que lembrou o incidente envolveu os dois no Bahrein, mas em posições inversas. Com a asa dianteira quebrada, Gutiérrez acabou parando na brita.

Do pelotão da frente, Vettel abriu a rodada de pit stops, mesmo estando de pneus duros, na volta 11. Ricciardo foi para os boxes cinco giros depois. Bottas era outro que se destacava. O finlandês saiu da nona posição na relargada para o terceiro lugar, com direito a belas manobras sobre Magnussen e Button. Mais na frente, Hamilton descontava a desvantagem para o líder Rosberg.

Ciente da aproximação de Lewis, Nico preferiu ir para os boxes na 19ª volta. Ele seguiu com compostos macios e retornou em segundo. Hamilton fez o pit stop seis voltas depois e optou uma estratégia diferente, colocando pneus duros. A parada, no entanto, foi mais lenta que a de Rosberg, em razão de um atraso na colocação da roda traseira esquerda. A diferença entre Nico e Hamilton ficou em 5s.

Apesar de estar com compostos mais duros, e por isso mais lentos, o britânico conseguia descontar a desvantagem para Rosberg. Foi então que o câmbio, que já tinha assustado o alemão em alguns momentos da prova, quebrou de vez, forçando o piloto a parar na grama e fazendo a ponta cair no colo de Hamilton.

Com o abandono de Nico, Bottas subiu para segundo e Vettel, terceiro. Pouco depois, o companheiro de Massa fez seu segundo pit stop e retornou à pista em terceiro, logo atrás do tetracampeão. Por pouco tempo: o finlandês logo deu o bote em cima do alemão e reassumiu o segundo lugar. Logo depois, Vettel fez seu pit stop e retornou em quarto, atrás de Button. Ainda com pneus frios, perdeu também a terceira posição para Alonso. Porém, assim que seus compostos esquentaram, o tetracampeão passou a pressionar o rival. O alemão deu o bote, mas o espanhol deu o troco na curva seguinte e se manteve na frente.

Enquanto isso, Hamilton liderava com tranquilidade, com 40s de vantagem sobre o segundo colocado, Valtteri Bottas. O finlandês da Williams, por sua vez, tinha dez segundo de vantagem sobre Ricciardo, que possuía mais dez sobre Button. A vantagem do britânico era tanta que ele fez seu segundo pit stop, colocou pneus duros, e voltou à pista 20s à frente de Bottas.

Mas os holofotes continuavam sobre o duelo Vettel x Alonso. O alemão acompanhava o espanhol de perto e reclamava diversas vezes pelo rádio que o piloto da Ferrari excedia os limites da pista, pressionando por punição. A cinco voltas do fim, os rivais quase se tocaram, fizeram a curva da entrada da reta lado a lado e o tetracampeão conseguiu, enfim, levar a melhor. Depois da brigam foi a vez do espanhol reclamar pelo rádio do alemão.

 

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas