MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
30/05/2017
09 de março de 2017 às 11h43 | Economia

Mato Grosso do Sul vai integrar Plano Nacional da Cultura Exportadora

O Plano já foi lançado em 20 Estados e Mato Grosso do Sul

Por: Da Redação

Mato Grosso do Sul dará início à implementação do PNCE (Plano Nacional da Cultura Exportadora) no mês de abril. A informação foi repassada pela gerente do CIN (Centro Internacional de Negócios) da Fiems, Fernanda Barbeta, nesta quarta-feira (08), durante reunião da Coordenação Nacional do PNCE, na sede do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), em Brasília (DF).

 “O PNCE já foi lançado em 20 Estados e Mato Grosso do Sul, que não integra essa lista, estuda o passo a passo da implementação. O CIN da Fiems e a Semade (Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico) acompanharam a reunião para conhecer as boas práticas dos outros Estados e replicá-las no Estado de acordo com as nossas particularidades”, explicou Fernanda Barbeta, ressaltando que a intenção é montar o Comitê Gestor até abril e, depois, dar início à implementação das ações do Plano.

Durante a reunião promovida em Brasília, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, apresentou os principais resultados do plano em 2016, a proposta de agenda do PNCE em 2017 e anunciou o início de parcerias com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Também foram discutidas práticas de planejamento, execução e monitoramento do PNCE, além de apresentadas formas de atuação nos Estados e tutorial sobre utilização dos módulos do sistema PNCE.

CNI

Na parceria firmada entre a CNI e o Mdic, a intenção é promover maior participação de empresas brasileiras no comércio exterior. De acordo com o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, as empresas atendidas pelo PNCE poderão participar do Rota Global, novo programa coordenado pela CNI, em parceria com a União Industrial Argentina (UIA) e o Parque Tecnológico de Extremadura na Espanha (Fundecyt-Pctex).

A iniciativa ajudará 500 indústrias a começar a exportar e terá R$ 1,2 milhão em recursos da AL Invest, programa da Comissão Europeia de fomento à competitividade de micro, pequenas e médias empresas da América Latina. "Devemos trabalhar a cultura exportadora das empresas, sobretudo em micro e pequenos negócios, mais voltados para o mercado doméstico. O PNCE está no caminho certo e conta com a colaboração da CNI e de todas as federações de indústrias", afirmou Robson Braga de Andrade.

O ministro Marcos Pereira ressaltou a importância da parceria com o Sistema Indústria e afirmou que a busca da competitividade da economia brasileira tem sido uma das prioridades do governo. "Estamos buscando ampliar a participação das nossas empresas no mercado internacional por meio de ações como o PNCE e soluções internas para a melhoria da competitividade do comércio exterior”, disse o ministro, completando que, incluindo o Rota Global, o programa oferecerá cerca de 200 ações de apoio a novos exportadores ao longo do ano.

Rota Global

Por meio da Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), coordenada pela CNI, o Rota Global oferecerá consultoria completa para empresas não exportadoras empreenderem no mercado internacional, com diagnóstico, desenho de estratégia de exportação e acompanhamento da execução do plano. Em julho, será aberto o prazo para indústrias interessadas se inscreverem. Negócios de todos os portes, setores e estados poderão participar.

A meta é traçar o diagnóstico de 500 empresas, desenvolver planos de negócios para 200 delas e, ao final do projeto, em 2018, ter ao menos 100 novas empresas com operação concreta de exportação. Por ser fruto de uma parceria internacional, o Rota atenderá indústrias no Brasil (75%), na Argentina (20%) e na Espanha (5%). Nacionalmente, a execução do projeto contará com o apoio dos Centros Internacionais de Negócios das federações de indústrias dos estados e do Distrito Federal.

O AL-Invest é um Programa da Comissão Europeia para fomentar a produtividade e a competitividade de MPMEs, na América Latina como forma de combater a pobreza e a desigualdade social. Na segunda convocatória da quinta edição, foram disponibilizados 4,9 milhões de euros para financiar projetos na região.

PNCE

O PNCE é coordenado pelo MDIC e reúne iniciativas de instituições parceiras nacionais e estaduais, com o objetivo de aumentar a base exportadora, estimulando a inserção de empresas de pequeno porte no mercado externo. Em 2017, além das ações de capacitação de empresas, o PNCE prevê a integração entre política industrial e política de apoio às exportações, realizada a partir da convergência entre o PNCE e o Brasil Mais Produtivo.

 

Além disso, será lançado o Portal PNCE, área pública do Sistema PNCE que irá divulgar casos de sucesso, a programação de atividades nos Estados. A intenção é permitir a inscrição de empresas, o atendimento personalizado de dúvidas das empresas cadastradas, além de aprimorar a comunicação e troca de informações entre os Comitês Estaduais do PNCE.

 

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas