MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
21/10/2020
08 de outubro de 2020 às 07h48 | MS

Governo Presente leva infraestrutura em três bairros e controla erosão em Miranda

Moradora do Jardim Carandá, um dos bairros que receberá pavimentação e drenagem de águas pluviais

Por: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul
Feliz com a chegada do asfalto em seu bairro Jardim Carandá, em Miranda, depois de tantas promessas de outros governos, a aposentada Maria Angélica Pereira Lopes, 62, pegou na enxada e foi para a calçada de sua casa ajudar os operários da obra a removerem o entulho. “Por 20 anos a gente espera por essa misericórdia divina”, diz a moradora, agradecendo ao governador Reinaldo Azambuja pela palavra cumprida com os mirandenses. A chegada da tão esperada infraestrutura no Carandá beneficia também os bairros Shalon e Baiazinha, com pavimentação, manejo de águas pluviais, mobilidade, acessibilidade e sinalização. O pacote faz parte dos investimentos do Governo Presente, lançado em 2019 pelo governador para atender aos 79 municípios de Mato Grosso do Sul. Em convênio com a prefeitura, a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) investe R$ 1,6 milhão.“A gente já tinha perdido as esperanças, era só promessa”, conta dona Maria Angélica, que mora na Rua Paschoal Bruno. “Quando chove, pra sair do bairro é uma calamidade, alaga tudo. Agora, vai ficar muito bom”, comemora. Sua vizinha Elaine Satil, 34, mãe de dois filhos menores, também saiu na calçada com a movimentação das máquinas. “Os outros (governos) só colocavam placa, mas agora estou vendo que o asfalto já é uma realidade”, diz ela. O governador Reinaldo Azambuja explicou porque optou por fazer a pavimentação asfáltica na área urbana. "Temos obras dentro da cidade, que seriam de responsabilidade das prefeituras, mas que entendemos serem importantes para melhorar a vida das pessoas. E não tem ciúmes entre os prefeitos porque temos obras e investimentos nos 79 municípios.", disse.Investimentos: R$ 46,9 milhões A obra está em ritmo acelerado e tem prazo para conclusão (um ano), informa o engenheiro responsável Nilson Jara Abreu. “Vamos implantar um dos melhores sistemas de infraestrutura para contenção de águas pluviais. As dificuldades iniciais é encontrar uma rede de tubulação que implantaram há muitos anos e foi abandonada”, conta. O investimento total do projeto, incluindo Caixa Econômica Federal e contrapartida do Estado, será de R$ 3,2 milhões.
Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas