MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
15/10/2018
27 de dezembro de 2017 às 12h35 | Educação

Fundect investiu em editais, eventos e na implantação do primeiro Instituto Tecnológico de MS

Foi garantido R$ 7 milhões para implantação do primeiro Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia no Estado

Por: GOV MS

A Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul (Fundect-MS), ao longo de 2017, lançou editais, patrocinou eventos, esteve presente junto aos órgãos de pesquisa nacionais e internacionais e investiu maciçamente na implantação do primeiro Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Mato Grosso do Sul.

Em outubro, foi assinado termo de cooperação entre a Fundect, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Universidade católica Dom Bosco (UCDB) que garantiu R$ 7 milhões para a implantação do primeiro Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia no Estado. Este será um espaço dedicado ao desenvolvimento de medicamentos “inspirados” em moléculas de origem animal para produção de medicamentos veterinários. Esta ação envolverá cerca de 220 pesquisadores associados, de 22 países e, somados os alunos, o número de pessoas envolvidas chega a 400.

Com relação aos editais, ao longo do ano foram lançadas chamadas públicas para a concessão de bolsas de mestrado (60 bolsas de R$ 1.500,00) e doutorado (30 bolsas de R$ 2.200,00), sendo que neste ano a Fundect registrou um número recorde de inscrições, o que se deu principalmente devido à intensa divulgação destes editais.

Também foram publicadas chamadas para o Programa Agroescola, que consiste na concessão de bolsas (12 bolsas no valor de R$ 1.300,00) para estudantes que tenham recém terminado o ensino médio em escolas públicas ou privadas, curso técnico de nível médio articulado ou subsequente em: agropecuária; agricultura; zootecnia; e áreas afins.

O edital Fundems foi publicado para fomentar pesquisas na área do milho e soja com investimentos na ordem dos R$ 3 milhões. Já o ALI (Agentes Locais de Inovação) selecionou profissionais para atuar juntamente com o Sebrae no apoio aos micro e pequenos empresários de MS.

Na parte de eventos, a Fundect esteve presente na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que em 2017 consagrou Mato Grosso do Sul como o Estado com o maior número de ações em todo o País, é a primeira vez em 14 anos que MS consegue subir no primeiro lugar do pódium.

Em Maracaju, a Fundect foi parceira da Showtec, uma das maiores feiras de agronegócio do Brasil com mais de 120 mil metros quadrados de área de visitação e cerca de 120 expositores que oferecem o que há de mais recente no setor agropecuário aos cerca de 16 mil visitantes que visitaram a feira este ano.

Participamos de todos os encontros do Fórum Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), momento em que representantes das fundações de todo o País se reúnem para fechar parcerias com órgãos nacionais de fomento à pesquisa como CNPq, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), além de instituições internacionais como o British Council e Medical Research Council (MRC).

Neste ano, estivemos mais próximos à comunidade científica e acadêmica de nosso Estado. Investimos no processo de divulgação científica do que é produzido por nossos pesquisadores. A Assessoria de Comunicação intensificou seus trabalhos nas mídias sociais, dobrando seu número de seguidores conquistando mais proximidade com seu público-alvo.

Encerrando os trabalhos em 2017, dois importantes editais lançados prometem também recorde de inscritos, trata-se do edital universal, que tem como objetivo fomentar pesquisas de quaisquer áreas do conhecimento. Para este certame serão investidos R$ 1,5 milhão.

O outro edital é o Pibic Júnior, que tem como objetivo, despertar a vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes mediante sua participação em atividades de pesquisa científica e/ou tecnológica. São 130 bolsas para este programa.

“Dois mil e dezessete foi um ano de luta, de superação, mesmo em um momento de crise Mato Grosso do Sul conseguiu fazer a sua parte, lançando editais, participando de eventos, contribuindo para a formação de nossa gente. Em 2018 esperamos mais desafios e estamos prontos para mais uma vez levantar a bandeira da Ciência, Tecnologia e Inovação em nosso Estado”, declara o diretor-presidente da Fundect, Márcio de Araújo.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas