MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
23/11/2017
14 de novembro de 2017 às 12h34 | Saúde

Em menos de 1 mês, sala de vacinação antirrábica imunizou equivalente ao registrado no ano

Esta sala de vacina é específica para atender pessoas com risco de exposição

Por: PMCG
Divulgação/PMCG

Desde a inauguração em 19 de outubro da Sala de Vacinação, exclusiva para Grupos de Risco Profilaxia Pré-Exposicional Antirrábica, 120 pessoas receberam as doses – este número é superior ao registrado de janeiro até a véspera da abertura, quando 92 pacientes foram vacinados. Anteriormente, as doses eram aplicadas nas unidades de Pronto Atendimento (UPA) e centros Regionais de Saúde (CRS).

“Esta quantidade satisfatória é resultado da medida para centralizar o atendimento de pessoas do grupo de risco, que precisam tomar a vacina antirrábica e coletar a sorologia para a titulação de imunização, segundo o protocolo do Ministério da Saúde”, afirma a coordenadora da Vigilância Epidemiológica (CVE), Mariah Barros.

Esta sala de vacina é específica para atender pessoas com risco de exposição permanente ao vírus da raiva durante atividades ocupacionais, como:

Profissionais ou estudantes medicina veterinária, biologia, agronomia, zootecnia;

Carteiros;

Trabalhadores do serviço de coleta de lixo;

Trabalhadores de pet shops e clínicas veterinárias.

Profissionais que atuam na captura, vacinação, identificação e classificação de mamíferos passíveis de portarem o vírus;

Funcionários de zoológicos e centros de reabilitação de animais silvestres;

Pessoas que desenvolvem trabalho de campo (pesquisas, investigações eco-epidemiológicas) com animais silvestres;

Espeleólogos;

Guias de ecoturismo;

Pescadores e outros profissionais que trabalham em área de risco;

Profissionais e auxiliares de laboratório de virologia e anatomopatologia para raiva.

Para receber a dose, a pessoa precisa comprovar a ocupação apresentando um documento funcional, a carteira de trabalho ou uma declaração (exigida para estudantes), além do Cartão SUS. As doses são registradas no prontuário eletrônico do paciente no sistema da Secretaria Municipal de Saúde (SESA) de Campo Grande.

“Toda pessoa que tem indicação de esquema pré-exposicional deve tomar três doses (com 0, 7 e 28 dias) e se submeter ao controle sorológico a partir do 14º dia após a última dose do esquema”, ponderou Mariah. São considerados satisfatórios títulos de anticorpos maior que 0,5 UI/ml. Em caso de título insatisfatório, é necessário uma dose de reforço e reavaliar novamente.

Em caso de mordeduras de animais suspeitos, a vacina pós-exposição continua sendo aplicada nas unidades de atendimento 24h. “O que nós fizemos foi centralizar o local onde as pessoas do grupo de risco devem receber atendimento pré-exposição e colher a titulação. Assim, melhoramos o atendimento nestas unidades 24h, permitindo que os profissionais foquem no atendimento de urgência e emergência”, afirmou a coordenadora do CVE.

A Sala de Vacinação exclusiva para Grupos de Risco Profilaxia Pré-Exposicional Antirrábica funciona no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) – Av. Sen Filinto Müller, 1601 (próximo ao Lago do Amor) -, das 7h às 11h e das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira (exceto feriados).

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas