MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
26/05/2017

Economista orienta como aproveitar de forma consciente o 13º salário

domingo, 01 de dezembro de 2013

 O final do ano é marcado economicamente pelo pagamento do 13º salário, benefício tão esperado pelos trabalhadores que geralmente já tem destino certo reservado para o dinheirinho a mais. O prazo para pagar a primeira parcela do 13º expirou no dia 29 de novembro, sexta-feira e a última parcela deve ser paga até o dia 20 de dezembro deste ano.

Mas será que todos sabem como aproveitar de maneira correta o décimo terceiro? O que é melhor quitar as contas ou aproveitar o dinheirinho a mais para realizar um sonho? Para responder essas e outras dúvidas, a economista Kelly Cacemiro, 30 anos, concedeu uma entrevista ao MS Repórter onde ela fala sobre como aplicar o dinheiro e se ainda é uma boa opção depositá-lo na poupança, além de dicas de como aproveitar de forma consciente o 13º salário.

Confira a entrevista

MS Repórter - Qual a melhor forma de se investir o 13º salário? A poupança ainda é uma boa opção para fazer o dinheiro 'render'?

Kelly Cacemiro - O 13º salário deve ser investido com cautela e com controle da ansiedade. É nessa época do ano que as lojas investem em publicidade e mega promoções para atrair o consumidor. Utilize o 13º salário para pagar dívidas, contas de início de ano e alcançar sonhos de longo prazo. Se conseguiu reservar uma parte do 13º salário, recomendo a aplicação na caderneta de poupança, o primeiro passo para quem quer sair do ciclo das dívidas e se organizar financeiramente. A poupança, por mais que tenha pouco rendimento, em torno de 6% ao ano, é o início para hábitos saudáveis nas finanças, por possui baixo risco, pode se realizar projetos futuros sem recorrer aos empréstimos, transmite segurança para emergências, dá conforto e satisfação quando seu montante vai crescendo ao longo dos meses, etc. Não adianta, no primeiro momento, um investidor sem experiência se arriscar na Bolsa de Valores. É melhor começar devagar e com pé no chão.

MS Repórter - Usar o décimo para pagar IPVA e IPTU à vista é uma boa opção? Quais as vantagens?

Kelly Cacemiro - Passadas as festividades do fim de ano, já sabemos que há muitos compromissos a assumir no mês de janeiro, tais como as despesas com material e matrícula escolar e os impostos (IPTU e IPVA). Reservar o 13º salário para o pagamento à vista é uma boa escolha, pois se reduz o peso desses gastos no orçamento e aproveita-se os descontos. O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, irá conceder 10% de desconto para o pagamento à vista do IPVA 2014. Um automóvel, por exemplo, com valor venal de R$ 25.000,00 e alíquota de 2,5%, tem como IPVA o valor de R$ 625,00; já com 10% de desconto, a economia será de R$ 62,50 e o valor cobrado será de R$ 562,50, uma diferença relevante.

MS Repórter - Quitar ou antecipar parcelas de um financiamento é uma boa estratégia financeira para quem não está com o nome sujo?

Kelly - Antecipar o pagamento das prestações como, por exemplo, empréstimo bancário, financiamento de veículo e compra parcelada, garante ao cidadão o direito de aproveitar o desconto proporcional de juros. Para qualquer pessoa é muito gratificante quitar ou reduzir as parcelas de determinado bem ou serviço e, consequentemente, ao utilizar o 13º salário para este fim se contribui para menos obrigações futuras.

MS Repórter - Quanto o 13º deve injetar na economia local?

Kelly - Segundo dados divulgados pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), estima-se que o pagamento do 13º salário em Mato Grosso do Sul, seja de um pouco mais de 1,5 bilhão de reais, um crescimento de 9,7% em relação ao ano passado.

MS Repórter - Caso sobre dinheiro desse salário extra, quais as melhores opções para aproveitá-lo?

Kelly - Recomendo que essa sobra de dinheiro seja empregada para alguma realização ou conquista pessoal. Trabalhamos o ano inteiro, pagamos impostos, batalhamos para conquistar um pouco mais de conforto e qualidade de vida e ao chegarmos à data mais alegre e festiva do ano, temos que desfrutar da gratificação natalina, popularmente conhecida como 13º salário, de forma consciente. Por exemplo, se quiser reformar a casa, trocar o carro ou comprar um terreno, faça e invista no seu sonho. A maioria dos brasileiros possuem um rendimento mensal na faixa de ½ e 1 salário mínimo, de acordo com dados do Censo Demográfico 2010, divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ou seja, o dinheiro é pouco e contado para as despesas essenciais. Se sobrou uma graninha do 13º salário, é sinal de que as contas estão em dia e o cidadão honrou os seus compromissos. Todos nós temos vontades, desejos e necessidades. Se realize e seja feliz!

MS Repórter - Se as contas estão em ordem, investir em viagens ou presentes no fim de ano pode ser perigoso?

Kelly - Torna-se prejudicial e perigoso se ocorrer de forma compulsiva e desequilibrada. Se for comprar presentes, antecipadamente nos meses de setembro a novembro, faça uma lista com as pessoas na qual deseja presentear e estipule um valor máximo para a compra. O mesmo vale para os gastos de Natal e Ano Novo, relacione os custos com a ceia, roupas novas, etc. Em relação às viagens, é interessante programá-la no 1⁰ ou 2⁰ trimestre do ano, pois com essa antecipação pode se conseguir bons descontos em hotéis, empresas aéreas ou agências de turismo, bem como a pessoa tem mais liberdade para reservar dinheiro ao longo dos meses para os passeios, a alimentação, etc. Por fim, uma planilha no computador ou caneta e papel na mão são fundamentais para que as contas não se percam.

MS Repórter - A maioria das pessoas usa o 13º salário para quitar dívidas de cartão de crédito e cheque especial que se acumularam durante o ano. Tentar renegociar essas dívidas é a melhor maneira para pagá-las?

Kelly - Uma das piores catástrofes financeiras que pode acontecer para o trabalhador é ter dívidas no cartão de crédito, cheque especial, crediário, etc. Usufruir do 13⁰ salário para renegociar e quitar essas dívidas é uma estratégia para colocar a vida financeira no caminho seguro, pois pode se barganhar descontos e juros menores. Nessa época do ano é comum ter mutirões de negociação promovidos pelas empresas de proteção ao crédito. Se o cidadão não puder pagar integralmente com o 13⁰ salário todas as dívidas, priorize as que cobram juros mais elevados.

MS Repórter - Como as pessoas podem se programar economicamente durante o ano para poder aproveitar melhor o 13º?

Kelly - A maneira mais objetiva e simples para se programar economicamente é anotando todos os meses as suas receitas e despesas. Apenas com um planejamento orçamentário, teremos a visão de como estamos usufruindo a nossa renda, de quanto é o custo com água, luz, telefone, gás, aluguel, alimentação, lazer, combustível, educação, entre outros. Anotar detalhadamente as finanças, torna-se um hábito que orienta os nossos objetivos e projetos futuros, evitando armadilhas, com gastos fúteis e desnecessários e definindo as nossas prioridades de consumo.

 

Por Mariana Rodrigues 

Economista Kelly Cacemiro. Foto: Arquivo Pessoal
Comente esta Entrevista
Outras entrevistas