MSRepórter - Notícias de Campo Grande-MS
23/11/2017
09 de novembro de 2017 às 11h24 | Geral

Contratações do FCO já chegam a R$ 1,66 bilhão em Mato Grosso do Sul

Do montante já contratado, o setor rural é responsável por R$ 1.024 bilhão

Por: GOV MS

As contratações do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) já chegam a R$ 1,66 bilhão em Mato Grosso do Sul no somatório dos projetos dos setores empresarial e rural. O montante equivale a 70% dos R$ 2,3 bilhões disponíveis para o Estado neste ano. Deste total, R$ 1,534 bilhão já foram efetivamente contratados e outros R$ 128,33 milhões estão em fase final de contratação junto ao Banco do Brasil.

Os números foram divulgados nesta quarta-feira (8.11), na 10ª reunião, do Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO (Ceif-FCO), realizada na Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro). “Estamos com um desempenho recorde no volume de contratações do FCO, fruto do empenho do Governo do Estado para garantir a utilização integral dos recursos do Fundo”, afirmou o secretário da pasta, Jaime Verruck, que preside o Ceif-FCO.

Segundo ele, “o setor rural desponta como o maior contratante devido às demandas do agronegócio, mas estamos com um desempenho histórico no setor empresarial, com destaque para o comércio, que agora tem um teto maior e mais facilidades nos empréstimos de capital de giro, principalmente”, finalizou.

Do montante já contratado, o setor rural é responsável por R$ 1.024 bilhão, com mais R$ 81,85 milhões em fase final de contratação. Já no setor empresarial, são R$ 508,76 milhões já efetivamente contratados e outros R$ 48,47 milhões aguardando no banco para contratação. Outros R$ 834 milhões já foram internalizados na instituição financeira (estão em análise; aguardam Carta Consulta; ou com projeto em elaboração).

Reunião do Conselho

Na reunião, foram aprovados R$ 44 milhões em projetos do Fundo, sendo R$ 13 milhões para setor empresarial e R$ 31 milhões para o rural. Também foi analisada e aprovada, no âmbito do Conselho Estadual, a Minuta de Deliberação que aprova e ratifica as diretrizes, prioridades, critérios e procedimentos definidos pelo Conselho Deliberativo (Condel) para a concessão de financiamentos do FCO no ano de 2017.

Entre as mudanças constantes na minuta está a ampliação do capital de giro, de R$ 800 mil para R$ 1,2 mil. “Era uma necessidade imediata das grandes empresas e beneficia empresas de todas as faixas ajudando, principalmente, no final do ano quando precisa aumentar estoque, pagar e contratar funcionários”, lembrou Jaime Verruck.

Também foram alterados:

- Aumento da limitação da assistência aos tomadores de financiamento de custeio e de Capital de giro dissociado;

- Matrizes bovinas;

- Limite passível de financiamento de até duas mil cabeças por beneficiário;

- Aquisição de bovinos, machos e fêmeas, padrão precoce a serem terminados: até R$ 2 milhões por beneficiário;

- Aquisição de veículos;

- Financiamento de caminhões e furgões novos e usados, inclusive, frigoríficos isotérmicos ou graneleiros são permitidos para todos os portes de empresas;

- Custeio;

- Equiparação do prazo custeio associado ao projeto de investimento.

Fontes alternativas

 (…) Apoiar a viabilização de projetos que contemplem sequestro de carbono e redução de emissão de gases de efeito estufa;

Apoiar projetos que utilizem fontes alternativas de energia.

Comente esta Noticia
Notícias Relacionadas